junho, 2007

30

jun

Memória Fotográfica: Palácio Mogiana – Construção da torre – 1908

28

jun

Memória Fotográfica: Bondes – Barracão em 24-03-1913

26

jun

Memória Fotográfica: Praça Bento Quirino – 1906

Veja a bela foto mostrando a Praça Bento Quirino, onde se pode ver um bonde puxado a burra e outros detalhes de um cotidiano perdido no tempo. Para ver detalhes clique sobre a figura.

24

jun

Personagem: Emília de Paiva Meira

Em 1902 assumiu a direção, substituindo a primeira diretora que tinha vindo da Áustria por orientação de Orosimbo Maia, do Colégio Progresso Campineiro a Sra. Emilia de Paiva Meira; distinta senhora pertencente a importante família do Rio de Janeiro, filha do então senador Dr. João Florentino Meira Vasconcelos.

Inicialmente o colégio funcionou na chácara do Guanabara, depois mudou-se para o Largo do Pará. Na sequência, para rua José Paulino e, finalmente, em 1917 para a Avenida Júlio de Mesquita. Imponente para a época, o edifício que foi construído para ser sede definitiva, ainda chama atenção por sua arquitetura.

Por decisão dos fundadores, Sra. Emília assumiu o colégio integralmente a partir de 1913 e em 03 de fevereiro de 1928, Sra. Emília de Paiva Meira, pensando no futuro, fundou a Sociedade Brasileira de Educação e Instrução de Meninas, “da qual só fariam parte mulheres solteiras, católicas e de moral ilibada”, que atuou como mantenedora do colégio até 2003.

Sra. Emília de Paiva Meira, é a figura mais expressiva na trajetória da escola, até a sua morte em 1937.

Nas fotos abaixo tem-se o testamento da Sra. Emília de Paiva Meira.


Transcrição do mesmo.

Monumento particular em homenagem à emérita educadora; abriga seus restos mortais e foi executado por Vilmo Rosada. Situado na Av. Júlio de Mesquita, 840; na entrada da escola.

23

jun

Curiosidades: Gazeta de Campinas – 1874

Leia notícia diretamente da Gazeta de Campinas de 1874, quando as pessoas que são histórias hoje; eram vivas e eram notícias. Clique sobre a imagem para ler com detalhes. O jornal Gazeta de Campinas foi fundado por Francisco Quirino (rua Dr. Quirino) dos Santos que era escritor, poeta e jornalista.