Arquivo da categoria ‘Suicídio’

Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio

11/09/17

O dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Além da ampla divulgação de números sobre o suicídio no mundo, discutem-se medidas preventivas e estudam-se os principais subgrupos populacionais que estão sob maior risco e demandam maior atenção do Estado, dos educadores e das famílias.

Entre 800 mil e 1 milhão de pessoas se matam por ano. Alguns milhões de indivíduos tentam o suicídio, sem sucesso, e ficam, às vezes, mutilados, ficam sempre perturbados emocionalmente e socialmente estigmatizados. O suicídio é um tema riquíssimo em Saúde Pública, Psiquiatria, Sociologia, Antropologia, Medicina Social e Psicanálise.

No livro intitulado Os sofrimentos do jovem Werther, Goethe descreveu o sofrimento de um jovem apaixonado por uma mulher casada. Em cartas sequenciais, o jovem vai se convencendo de que a única saída para seu impasse existencial é a morte, que termina por acontecer, pela via do suicídio. O livro fez tanto sucesso, que levou à morte por suicídio dezenas, talvez centenas, de jovens europeus. Nos anos 1970, o sociólogo David Phillips cunhou o termo “efeito Werther” para descrever o fenômeno social e global de suicídios em série depois da divulgação do suicídio de uma pessoa de destaque, especialmente entre os jovens. Esse fenômeno existe, comprovadamente, mais ainda agora, graças aos meios de comunicação social on-line de que dispomos.

O suicídio pode ocorrer em qualquer idade, em ambos os sexos, até em crianças, mas é muito mais comum entre pessoas depressivas e entre os dependentes químicos. Geralmente, o suicídio é anunciado, às vezes sutilmente, outras vezes escancaradamente. Amigos, familiares e professores são os primeiros a detectar os primeiros sinais e sintomas do potencial suicida. Devem agir rapidamente e sob a orientação de um psiquiatra. Serviços como o que presta o CVV (Centro de Valorização da Vida – ligue 141) e por outros grupos de ajuda (por meio de telefone, e-mail ou chat) são de valor inestimável e salvam vidas todos os dias. São gratuitos e estão disponíveis 24 horas por dia.

Visite www.momentosaude.com.br
Visite www.minhashistorinhas.art.br

Setembro amarelo

14/09/16

No dia 10 de setembro comemora-se o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Por causa disso, o mês de setembro foi escolhido para atividades, conferências e discussões em torno do tema suicídio.
O Ministério da Saúde do Brasil e a Organização Mundial da Saúde estimam que 32 brasileiros se suicidem por dia no Brasil e cerca de 600 tentem se matar sem sucesso todos os dias. No mundo há cerca de 800 mil a 1 milhão de suicídios por ano e mais 20 vezes esse tanto de tentativas de suicídio. Esses números colocam o suicídio como uma condição epidêmica e de enorme importância na Saúde Pública de todos os países.
A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) divulgou recentemente números de suicídios no Estado de São Paulo. Houve um crescimento de 4,6 para 5,6 casos por 100 mil habitantes por ano entre 2008 e 2014. Os homens são 80% das pessoas que se suicidam, na sua idade mais produtiva. Em outros estados, como no Rio Grande do Sul, o número de suicídios é o dobro e acomete mais homens idosos. Em alguns lugares do mundo, como no Japão, os números são ainda maiores, chegando a 20 casos por 100 mil habitantes por ano.
O suicídio tem crescido na faixa etária de 12 a 15 anos de idade, particularmente entre garotas. As redes sociais, as pressões escolares, os abusos dentro de casa, a iniciação sexual mais precoce, o bullying e o uso de drogas são alguns dos fatores que ajudam a explicar esse trágico fenômeno. O suicídio também tem crescido em crianças e em transgêneros, por variadas razões.
A prevenção ao suicídio pode ser feita com sucesso em 90% dos casos, segundo os especialistas. O suicídio está fortemente vinculado aos transtornos mentais, notadamente depressão, bipolaridade, esquizofrenia, alcoolismo e uso de drogas. Geralmente o suicídio é anunciado por meio de isolamento social, mau aproveitamento escolar, tristeza imotivada, distúrbios digestivos, dores mal explicadas no corpo e mudanças de comportamento. Médicos, familiares e professores são os primeiros a se deparar com os suicidas em potencial e deveriam ser treinados para prestar ajuda. Aqueles que já tentaram se matar uma vez, vão tentar fazê-lo de novo em menos de 90 dias e devem ter prioridade no atendimento para a prevenção.
O Centro de Valorização da Vida (CVV), que atende por e-mail (www.cvv.org.br) e pelo telefone 141, 24 horas por dia, tem a estrutura e a vocação para ajudar as pessoas que pretendem se suicidar. Os psiquiatras são os profissionais mais preparados para lidar com os suicidas em potencial.
Visite www.momentosaude.com.br
Visite www.minhashistorinhas.art.br
No dia 10 de setembro comemora-se o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Por causa disso, o mês de setembro foi escolhido para atividades, conferências e discussões em torno do tema suicídio.
O Ministério da Saúde do Brasil e a Organização Mundial da Saúde estimam que 32 brasileiros se suicidem por dia no Brasil e cerca de 600 tentem se matar sem sucesso todos os dias. No mundo há cerca de 800 mil a 1 milhão de suicídios por ano e mais 20 vezes esse tanto de tentativas de suicídio. Esses números colocam o suicídio como uma condição epidêmica e de enorme importância na Saúde Pública de todos os países.
A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) divulgou recentemente números de suicídios no Estado de São Paulo. Houve um crescimento de 4,6 para 5,6 casos por 100 mil habitantes por ano entre 2008 e 2014. Os homens são 80% das pessoas que se suicidam, na sua idade mais produtiva. Em outros estados, como no Rio Grande do Sul, o número de suicídios é o dobro e acomete mais homens idosos. Em alguns lugares do mundo, como no Japão, os números são ainda maiores, chegando a 20 casos por 100 mil habitantes por ano.
O suicídio tem crescido na faixa etária de 12 a 15 anos de idade, particularmente entre garotas. As redes sociais, as pressões escolares, os abusos dentro de casa, a iniciação sexual mais precoce, o bullying e o uso de drogas são alguns dos fatores que ajudam a explicar esse trágico fenômeno. O suicídio também tem crescido em crianças e em transgêneros, por variadas razões.
A prevenção ao suicídio pode ser feita com sucesso em 90% dos casos, segundo os especialistas. O suicídio está fortemente vinculado aos transtornos mentais, notadamente depressão, bipolaridade, esquizofrenia, alcoolismo e uso de drogas. Geralmente o suicídio é anunciado por meio de isolamento social, mau aproveitamento escolar, tristeza imotivada, distúrbios digestivos, dores mal explicadas no corpo e mudanças de comportamento. Médicos, familiares e professores são os primeiros a se deparar com os suicidas em potencial e deveriam ser treinados para prestar ajuda. Aqueles que já tentaram se matar uma vez, vão tentar fazê-lo de novo em menos de 90 dias e devem ter prioridade no atendimento para a prevenção.
O Centro de Valorização da Vida (CVV), que atende por e-mail (www.cvv.org.br) e pelo telefone 141, 24 horas por dia, tem a estrutura e a vocação para ajudar as pessoas que pretendem se suicidar. Os psiquiatras são os profissionais mais preparados para lidar com os suicidas em potencial.
Visite www.momentosaude.com.br
Visite www.minhashistorinhas.art.br