Arquivo da categoria ‘Sa√ļde’

A vez do homem – Novembro Azul

01/11/16

Depois do Outubro Rosa, m√™s em que os problemas de sa√ļde da mulher s√£o debatidos e divulgados, vem o Novembro Azul, em que se faz o mesmo em rela√ß√£o √† sa√ļde do homem.
Aproveitando as datas de 17 de novembro ‚Äď Dia Internacional de Combate ao C√Ęncer de Pr√≥stata, e o dia 19 de novembro ‚Äď Dia Internacional do Homem, um grupo de australianos organizou um movimento, em 2003, que deu origem ao Novembro Azul, m√™s em que se discute no mundo todo a sa√ļde do homem ‚Äď f√≠sica, psicol√≥gica e social.
Segundo dados do Minist√©rio da Sa√ļde e do Instituto Nacional do C√Ęncer, em 2016 haver√°, no Brasil, cerca de 60 mil novos casos de c√Ęncer de pr√≥stata e cerca de 12 mil mortes por c√Ęncer de pr√≥stata. H√° um n√ļmero ainda maior de casos esperados de c√Ęncer de pele, mas com gravidade e mortalidade muito menores. Outras formas de c√Ęncer do homem, c√≥lon, est√īmago, pulm√£o e l√≠ngua, de grande preval√™ncia, acometem milhares de homens todos os anos.
Al√©m do c√Ęncer, os acidentes vasculares, notadamente, infarto do mioc√°rdio e acidente vascular cerebral, matam dois de cada tr√™s brasileiros que morrem de morte natural. Isso decorre de abuso de √°lcool, do cigarro, da obesidade e do sedentarismo, al√©m de diabetes, hipertens√£o arterial e dislipidemia (colesterol e triglic√©rides aumentados).
Novembro Azul é a oportunidade de refletir sobre outros problemas que atingem o homem, como depressão, desemprego, disfunção sexual, violência, homossexualidade/homofobia, alcoolismo, abuso de drogas, tabagismo, demência, AIDS e osteoporose.
Os homens vivem bem menos do que as mulheres no Brasil. Uma das causas disso √© a falta de cuidados que os homens brasileiros t√™m para consigo mesmos. S√≥ procuram o m√©dico quando est√£o doentes, √†s vezes com gravidade. N√£o fazem uso da Medicina Preventiva. Exames peri√≥dicos, instru√ß√£o, educa√ß√£o m√©dica, acesso √† Sa√ļde P√ļblica para todos, exerc√≠cios f√≠sicos regulares, combate ao tabagismo e ao alcoolismo s√£o alguns dos temas que dever√£o ser discutidos e divulgados durante o Novembro Azul. Participe. Contribua.
Visite www.momentosaude.com.br
Visite www.minhashistorinhas.art.br
Depois do Outubro Rosa, m√™s em que os problemas de sa√ļde da mulher s√£o debatidos e divulgados, vem o Novembro Azul, em que se faz o mesmo em rela√ß√£o √† sa√ļde do homem.
Aproveitando as datas de 17 de novembro ‚Äď Dia Internacional de Combate ao C√Ęncer de Pr√≥stata, e o dia 19 de novembro ‚Äď Dia Internacional do Homem, um grupo de australianos organizou um movimento, em 2003, que deu origem ao Novembro Azul, m√™s em que se discute no mundo todo a sa√ļde do homem ‚Äď f√≠sica, psicol√≥gica e social.
Segundo dados do Minist√©rio da Sa√ļde e do Instituto Nacional do C√Ęncer, em 2016 haver√°, no Brasil, cerca de 60 mil novos casos de c√Ęncer de pr√≥stata e cerca de 12 mil mortes por c√Ęncer de pr√≥stata. H√° um n√ļmero ainda maior de casos esperados de c√Ęncer de pele, mas com gravidade e mortalidade muito menores. Outras formas de c√Ęncer do homem, c√≥lon, est√īmago, pulm√£o e l√≠ngua, de grande preval√™ncia, acometem milhares de homens todos os anos.
Al√©m do c√Ęncer, os acidentes vasculares, notadamente, infarto do mioc√°rdio e acidente vascular cerebral, matam dois de cada tr√™s brasileiros que morrem de morte natural. Isso decorre de abuso de √°lcool, do cigarro, da obesidade e do sedentarismo, al√©m de diabetes, hipertens√£o arterial e dislipidemia (colesterol e triglic√©rides aumentados).
Novembro Azul é a oportunidade de refletir sobre outros problemas que atingem o homem, como depressão, desemprego, disfunção sexual, violência, homossexualidade/homofobia, alcoolismo, abuso de drogas, tabagismo, demência, AIDS e osteoporose.
Os homens vivem bem menos do que as mulheres no Brasil. Uma das causas disso √© a falta de cuidados que os homens brasileiros t√™m para consigo mesmos. S√≥ procuram o m√©dico quando est√£o doentes, √†s vezes com gravidade. N√£o fazem uso da Medicina Preventiva. Exames peri√≥dicos, instru√ß√£o, educa√ß√£o m√©dica, acesso √† Sa√ļde P√ļblica para todos, exerc√≠cios f√≠sicos regulares, combate ao tabagismo e ao alcoolismo s√£o alguns dos temas que dever√£o ser discutidos e divulgados durante o Novembro Azul. Participe. Contribua.
Visite www.momentosaude.com.br
Visite www.minhashistorinhas.art.br

Impotência sexual Рum problema comum

24/06/13

A pot√™ncia sexual do homem, definida aqui como a capacidade de o homem ter ciclos de ere√ß√£o completa e ejacula√ß√£o, come√ßa ao redor de doze ou treze anos de idade, √©poca da puberdade, e vai, √†s vezes se arrastando, at√© os oitenta ou noventa anos. A pot√™ncia √© m√°xima entre vinte e vinte e cinco anos de idade, isto √©, √© nessa fase da vida do homem que ele consegue mais vezes ter ere√ß√Ķes e ejacula√ß√Ķes. Depois disso a pot√™ncia vai pouco a pouco diminuindo e tende a acabar. Essa √© a raz√£o por que muitos homens idosos ficam impotentes. Existe, portanto, motivo org√Ęnico para o decl√≠nio paulatino da pot√™ncia, mesmo em quem n√£o tem problemas de sa√ļde. Todo √≥rg√£o humano paga um tributo ao envelhecimento. A pot√™ncia diminui √† medida que o homem envelhece, mesmo que seu desejo permane√ßa o mesmo. No entanto, por doen√ßa f√≠sica ou psicol√≥gica, muitos homens ficam impotentes ainda jovens, o que lhes causa grandes e indescrit√≠veis ang√ļstias.
A impot√™ncia sexual do homem √© um dos assuntos mais estudados em Urologia nos √ļltimos trinta anos. A Medicina j√° desvendou a maior parte dos complexos mecanismos da ere√ß√£o e da ejacula√ß√£o. E j√° sabe como tratar a impot√™ncia na maioria dos casos. Nos √ļltimos cinco anos, com a descoberta de novas drogas para melhorar o desempenho sexual do homem, ocorreu uma verdadeira revolu√ß√£o no tratamento das disfun√ß√Ķes sexuais masculinas.
Um homem impotente, ou que sente que caminha para isso muito rapidamente, deve procurar um urologista ou um andrologista para ser investigado e tratado. O especialista algumas vezes solicitará a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra porque a impotência pode ser causada por um bloqueio psíquico difícil de ser superado.
A maior dificuldade que o paciente impotente tem é a de reconhecer seu problema e procurar o médico. Ele em geral se fecha, esconde seu mal e, quando muito, procura os balconistas de farmácias e os curiosos, no que sempre se dá muito mal.
A impot√™ncia sexual masculina n√£o √© praga, castigo, nem encosto. √Č apenas uma doen√ßa comum que pode ser superada com o tratamento correto.

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Impotência sexual existe e tem cura

17/06/13

Antigamente só se falava de impotência sexual masculina aos cochichos e em particular. Na verdade, todos os temas sexuais eram tratados assim. Hoje o assunto impotência é tratado em matérias de jornais, internet, revistas e televisão. Fala-se abertamente da impotência masculina. Oferecem-se tratamentos nos jornais e revistas de grande circulação.
Contudo nem sempre o que ouvimos e lemos √© informa√ß√£o de boa qualidade. Com frequ√™ncia as informa√ß√Ķes s√£o dadas por pessoas sem gabarito e sem escr√ļpulos, que v√™em na impot√™ncia sexual masculina apenas uma √≥tima oportunidade de ganhar dinheiro f√°cil. E como ganham! O tema raramente √© tratado de modo cient√≠fico e √©tico na m√≠dia, mas com sensacionalismo e incompet√™ncia jornal√≠stica.
Quando eu era um estudante de Medicina, nos anos 70 e começo dos anos 80, quase não se falava em impotência. Hoje em dia há congressos internacionais só de impotência sexual. O que mudou? Mudamos nós os médicos ou mudou a doença?
Na verdade, a doen√ßa n√£o mudou. Ela sempre existiu, mas foi relativamente ignorada pela medicina do passado. Por preconceito e ignor√Ęncia. Mudamos n√≥s, os m√©dicos, porque passamos a estudar e aprendemos muito nos √ļltimos trinta anos sobre a impot√™ncia. Sabemos tanto hoje que podemos resolver quase todos os casos de impot√™ncia. No entanto, cuidado! Existem in√ļmeras cl√≠nicas de tratamento da impot√™ncia com pouca ci√™ncia e muito com√©rcio, oferecendo verdadeiros milagres, prometendo transformar um claudicante senhor da terceira idade num verdadeiro maratonista sexual. Mentira! Os tratamentos cient√≠ficos s√£o eficazes, mas n√£o s√£o m√°gicos.
Os homens que sofrem de dificuldades de ere√ß√£o devem, em primeiro lugar, procurar os m√©dicos especialistas no problema – os urologistas e os andrologistas, sempre com refer√™ncias de outras pessoas, jamais por interm√©dio de an√ļncios de jornal, tv ou revistas. Em segundo lugar, devem fazer uma avalia√ß√£o cr√≠tica do diagn√≥stico e das propostas de tratamento. Se necess√°rio, devem buscar uma segunda opini√£o m√©dica antes do tratamento definitivo. Em √ļltimo lugar, devem empenhar-se no tratamento, fazendo sua parte, que √© seguir rigorosamente as prescri√ß√Ķes m√©dicas.
Impotência sexual existe e tem cura. Se este é o seu problema, procure um médico de verdade e não um milagreiro.

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Existe solução para a impotência?

10/06/13

Com a honrosa exceção dos bebês de proveta, a esmagadora maioria de nós, humanos, foi gerada essencialmente do mesmo modo: uma relação sexual entre um homem e uma mulher. Pode ser que daqui a cem anos isso mude, mas até este ponto de nossa história humana, o sexo entre um homem e uma mulher tem sido o meio de se reproduzir e preservar-se a espécie.
O sexo normal pressup√Ķe um homem e uma mulher adultos ou pelo menos p√ļberes, isto √©, maduros sexualmente. As rela√ß√Ķes sexuais entre dois homens ou duas mulheres, ou ainda entre um adulto e uma crian√ßa, embora existam e sejam at√© aceitas e incentivadas em alguns meios, s√£o absolutamente anormais do ponto de vista biol√≥gico.
Para que um homem e uma mulher sejam bem sucedidos em sua atividade sexual é necessário que o pênis se encha de sangue e fique duro ou rígido o suficiente para a penetração vaginal. Pode faltar quase tudo na relação sexual, mas um pênis ereto é básico.
Est√° justamente a√≠ um dos grandes problemas m√©dicos de nosso tempo: a dificuldade de enrijecimento do p√™nis, ou a impot√™ncia sexual. O n√ļmero de homens que tem dificuldade de ere√ß√£o √© enorme, mesmo entre homens jovens sadios. O problema nem sempre se deve a uma desordem de natureza predominantemente ps√≠quica, como se pensava no passado. Hoje em dia j√° se sabe que na maioria dos casos de impot√™ncia sexual masculina existe uma mistura de fatores f√≠sicos e psicol√≥gicos causadores do mal.
A necessidade de estudar melhor o problema da impot√™ncia levou ao desenvolvimento de uma especialidade: a andrologia, um desdobramento da urologia e da cirurgia vascular. A andrologia √© a especialidade m√©dica que se ocupa de estudar e tratar a impot√™ncia e outras disfun√ß√Ķes sexuais e reprodutivas do homem.
Infelizmente muitos homens ignoram a ajuda da medicina neste particular e se escondem atr√°s de desculpas esfarrapadas ou, pior, transferem a responsabilidade do problema para suas companheiras.
Todos os homens que apresentam dificuldades eretivas podem ser tratados hoje em dia, com grande chance de sucesso. O primeiro e mais corajoso passo é procurar o médico.

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Disfunção sexual Рquem pode ajudar?

01/04/13

Quando uma pessoa está com dor de barriga, procura o médico. Se está com dificuldades para enxergar, procura o oculista. Se está ficando maluca, procura um psiquiatra. E quando está doente do sexo? Procura quem? Geralmente não procura ninguém porque tem vergonha de dizer que está doente do sexo.
Na verdade, s√£o muitas as pessoas que t√™m problemas sexuais, √†s vezes antigos, mas n√£o v√£o atr√°s de ajuda, tanto homens como mulheres. Ejacula√ß√£o precoce, impot√™ncia, desinteresse sexual, frigidez, dor na rela√ß√£o, ejacula√ß√£o demorada, etc. Essas s√£o as principais disfun√ß√Ķes sexuais que as pessoas apresentam, todas elas pass√≠veis de tratamento.
Algumas dessas anormalidades são provocadas por problemas físicos, doenças que podem ser curadas com medicamentos ou cirurgias. Outras são decorrentes de problemas psicológicos, também tratáveis por meio das técnicas psicanalíticas.
Seja como for, o importante √© dizer que as doen√ßas do sexo s√£o t√£o comuns como as outras e t√™m tratamento. O dif√≠cil √© convencer os que precisam de tratamento a ir atr√°s dele porque h√° muito preconceito e resist√™ncia. J√° diziam nossos av√≥s: ‚ÄúO doente mais dif√≠cil de tratar √© aquele que n√£o quer ser curado‚ÄĚ.
Infelizmente na área da sexualidade isso tem sido verdade para muitos. Atualmente o preconceito é menor e fala-se mais abertamente sobre o sexo e seus problemas. Até na televisão no horário nobre.
Os psicólogos, os sexólogos, os ginecologistas e os urologistas são os médicos especialistas mais habilitados para orientar as pessoas que têm alguma forma de desajustamento sexual. Outros profissionais eventualmente precisam ser envolvidos, conforme a necessidade, mas de início apenas um basta.
Se você tem algum problema na área sexual deve procurar o tratamento. Não precisa ter vergonha de seu problema de modo algum. Você também deve envolver seu parceiro ou parceira sexual no tratamento porque o problema raramente é individual, mas sim do casal e envolve aspectos afetivos de ambos os parceiros. Sem o envolvimento do casal a chance de sucesso é menor.
Se voc√™ tiver uma dor de dente, v√° ao dentista. Se tiver vis√Ķes, v√° ao psiquiatra. Mas se voc√™ tiver problemas sexuais, v√° ao sex√≥logo, ginecologista ou urologista.

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Mulher frígida Рde quem é a culpa?

23/03/13

Todo homem normal quando devidamente estimulado sexualmente chega a um ponto máximo de prazer chamado orgasmo. Da mesma forma, toda mulher normal também chega ao orgasmo. As diferenças principais entre o homem e a mulher são que o homem é mais rápido e não depende muito de clima emocional, isto é, o homem pode estar aborrecido, brigado com sua mulher, nervoso, preocupado, mas reage mais ou menos da mesma forma: consegue rapidamente chegar ao orgasmo. Já a mulher não só é mais lenta, mas depende muito dos sentimentos envolvidos na relação com seu parceiro. Se estiver com raiva ou triste, sua resposta é muito mais lenta, podendo mesmo nem conseguir chegar lá.
Quando a mulher sistematicamente não consegue atingir o orgasmo ela pode ter um problema, ao que se dá o nome elegante de insuficiência orgásmica ou o nome deselegante de frigidez.
Esse é um problema médico e como tal deve ser tratado. Na verdade a insuficiência orgásmica da mulher não é um problema só dela, mas também de seu parceiro sexual. Por essa razão, não existe nenhum tratamento para a mulher sozinha, mas para o casal. Para dar certo, os dois têm que procurar juntos ajuda médica, com sexólogo ou com ginecologista. Caso contrário, o tratamento é precário e os resultados são incertos.
Raramente a insufici√™ncia org√°smica da mulher √© causada por problemas f√≠sicos, ou seja, por doen√ßas que os rem√©dios e as cirurgias resolvem. Em geral as causas da insufici√™ncia org√°smica s√£o psicol√≥gicas e podem ter ra√≠zes na inf√Ęncia ou na adolesc√™ncia.
Seja como for, a insufici√™ncia org√°smica da mulher existe, √© muito freq√ľente e pode ser tratada com sucesso desde que o casal reparta a responsabilidade e procure ajuda especializada.
Pode-se dizer, exagerando um pouco, que, de modo geral, a tal da mulher fria, frígida ou sexualmente irresponsiva, não existe. Existe sim um casal desajustado emocionalmente, um parceiro inábil ou insensível aos sentimentos e necessidades de sua mulher.
Deixo, para sua reflex√£o, um pensamento precioso do escritor chin√™s Lin Yutang: ‚Äú√Č minha opini√£o que no Ocidente se pensa muito no sexo e muito pouco nas mulheres.‚ÄĚ

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Frigidez Рproblema e solução

18/03/13

Hoje em dia muitos casais se separam pelos mais variados motivos. A maioria o faz por problemas emocionais de um ou de ambos os parceiros. No entanto, um bom n√ļmero de casais se separam por insatisfa√ß√£o sexual. Sua falta de entendimento na cama contamina todo o relacionamento. A maioria dos casais que n√£o se entende bem na cama vive em conflito e frustra√ß√£o, mas n√£o se separa por causa dos filhos, por falta de coragem, por problemas de dinheiro, por princ√≠pios religiosos ou por qualquer outro motivo. Na verdade, o desajustamento sexual dos casais √© extremamente frequente.
Uma das disfun√ß√Ķes sexuais mais comuns √© a dificuldade de a mulher chegar ao orgasmo, ao que se chama corretamente de insufici√™ncia org√°smica, mas ao que popularmente se d√° o nome de frigidez.
A mulher normalmente reage mais devagar que o homem aos estímulos sexuais, isto é, a mulher é mais lenta que o homem. Pode-se dizer o contrário, que é a mesma coisa: o homem é mais rápido que a mulher para alcançar o prazer máximo, chamado orgasmo.
Por causa dessa diferença, que é normal, e que muitos desconhecem, e também por falta de habilidade e de paciência de alguns homens, suas mulheres podem nunca ou raramente chegar ao orgasmo, o que traz grande frustração e insatisfação, principalmente para as mulheres.
Os sex√≥logos e tamb√©m alguns ginecologistas s√£o os profissionais treinados para ajudar os casais com essa dificuldade. Eventualmente tamb√©m um urologista pode ser envolvido no tratamento. Quase todos os casos de insufici√™ncia org√°smica ou frigidez podem ser resolvidos com o tratamento correto. O mais dif√≠cil √© convencer os casais que sofrem disso a procurarem ajuda. O principal foco de resist√™ncia em geral √© o homem, e n√£o a mulher. Por vergonha, ignor√Ęncia, machismo ou simplesmente medo de se expor, o homem evita o problema, preferindo p√īr a culpa na mulher, quando na verdade √© sua tamb√©m.
Em resumo: a frigidez ou insuficiência orgásmica da mulher não é um problema só dela, mas também e principalmente de seu parceiro. Existe tratamento e a cura é possível, desde que os dois procurem ajuda.

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Ejaculação precoce Рpode acontecer com qualquer um

11/03/13

Alguns anos atr√°s ouvi uma compara√ß√£o entre a fun√ß√£o sexual do ser humano e o fog√£o. O homem seria como o fog√£o moderno, a g√°s. Basta virar o bot√£o e… pronto! O fogo est√° l√°.
A mulher seria como o antigo fog√£o a lenha. Faz um fogo muito bom, mas demora para acender e apaga bem devagar.
A comparação é um pouco exagerada, mas muito boa porque ilustra um ponto muito importante no entendimento sexual entre o homem e a mulher: O homem normal é um pouco mais rápido que a mulher normal para atingir o orgasmo. Dito de uma forma agora machista: a mulher normal é um pouco mais lenta que o homem normal.
Sabendo isto, tanto o homem como a mulher se empenham em tirar proveito de suas diferenças de modo a se satisfazerem mutuamente sem problemas.
Ocorre que algumas mulheres s√£o um pouco mais lentas e, o que √© pior, seus companheiros s√£o r√°pidos demais. Surge ent√£o um desajuste carregado de frustra√ß√£o: a mulher n√£o consegue obter prazer e o homem n√£o consegue dar prazer a ela. √Č a ejacula√ß√£o precoce ou prematura.
O problema da ejaculação precoce pode ser resolvido por meio de um tratamento relativamente simples, que envolve exercícios, remédios e aconselhamento. Os profissionais mais treinados para cuidar da ejaculação precoce são os médicos urologistas e os sexólogos.
O problema da ejacula√ß√£o precoce pode acontecer com qualquer casal, independente de seu passado sexual ou de sua cultura. Pode tamb√©m existir desde o in√≠cio do relacionamento sexual ou surgir mais tarde, quando o casal j√° √© maduro e experiente. Raras vezes a ejacula√ß√£o precoce √© causada por uma doen√ßa f√≠sica ou mental. Na verdade a ejacula√ß√£o precoce est√° mais para o h√°bito do que para uma doen√ßa org√Ęnica ou uma neurose.
√Č muito frustrante, especialmente para a mulher, uma ejacula√ß√£o r√°pida demais. √Č claro que o casal pode se adaptar e desenvolver outras formas de buscar o prazer, mas o ideal √© que o reflexo da ejacula√ß√£o seja controlado pelo tempo desejado pelo casal.
Um conselho pr√°tico: Controle seu fogo para n√£o queimar seu relacionamento.
Visite meu site www.momentosaude.com.br

Ejaculação precoce Рproblema e solução

04/03/13

Muitas pessoas t√™m problemas sexuais e n√£o procuram tratamento. Isso acontece tanto em homens como mulheres, solteiros ou casados. Por vergonha, medo ou ignor√Ęncia essas pessoas ficam sem tratamento e vivem frustradas. S√£o infelizes do ponto de vista sexual.
A disfunção sexual mais comum do homem é a ejaculação precoce. Isso mesmo. Não é a impotência como muitos pensam, mas a ejaculação precoce ou prematura. Acomete cerca de 30% dos homens adultos!
O que acontece?
O homem não consegue controlar sua ejaculação e ela ocorre muito antes do desejado por ele e por sua parceira, prejudicando os dois, mas principalmente a mulher. Dito de outra forma: o homem goza muito depressa, às vezes antes mesmo da penetração ou logo depois dela.
Muitos homens que sofrem desse problema não sabem que isso é anormal e não procuram ajuda médica. Outros não o sabem porque suas companheiras não contam o que sentem ou, pior, fingem um prazer que não têm. Outros homens sabem que têm o problema, mas não respeitam o direito de suas companheiras, ignoram seus sentimentos e egoisticamente não se preocupam com elas.
Na verdade a ejaculação rápida demais atrapalha o relacionamento de qualquer casal, podendo até mesmo levar ao rompimento dos laços afetivos. A frustração pode ser escondida por algum tempo, mas acaba explodindo um dia, na forma de uma traição ou de uma separação.
A ejacula√ß√£o precoce tem tratamento e cura. Os m√©dicos que lidam com esse problema s√£o os urologistas. Os sex√≥logos, que podem ou n√£o ser m√©dicos, tamb√©m est√£o habilitados para ajudar os casais que apresentam essa disfun√ß√£o. Digo os casais porque esse dist√ļrbio sexual, como qualquer outro, envolve o casal e seu relacionamento. A ejacula√ß√£o precoce s√≥ pode ser tratada com efici√™ncia quando o casal √© envolvido na terapia.
O tratamento surte efeitos positivos em pouco tempo e o reflexo ejaculatório pode ser controlado de modo a retardar o orgasmo do homem e permitir que a mulher chegue também ao seu prazer máximo.
Se você, homem, é rápido na cama como o Ayrton Senna era nas pistas, você tem um grande problema. Procure ajuda.
Visite meu site www.momentosaude.com.br

Será que eu sou frígida?

02/07/12

Certas mulheres têm dificuldade de alcançar o orgasmo na relação sexual. A esta dificuldade se dá o estranho nome de frigidez.
A frustração que isso acarreta é enorme, tanto para a mulher como para o seu companheiro, que se sente (quando tem sensibilidade o bastante) de certa forma incompetente.
Algumas mulheres podem passar toda uma vida sem prazer e, pior, sem ninguém saber. Algumas fingem um prazer que nunca tiveram de verdade. Outras arranjam desculpas, como a já famosa dor de cabeça, para evitar a relação sexual, que se torna fonte de frustração e até de dor. Tais mulheres rotulam-se a si mesmas ou são rotuladas por seus companheiros de frígidas. Sentem-se inferiorizadas, infelizes e anormais.
Na verdade, o n√ļmero de mulheres que pensam ser fr√≠gidas √© muito grande, mas as que t√™m de verdade o problema da frigidez √© muito pequeno. Na maioria dos casos, o companheiro √© descuidado e incompetente ao ponto de se preocupar s√≥ com o prazer dele e ignorar inteiramente os sentimentos e sensa√ß√Ķes da companheira. Para cada caso verdadeiro de frigidez deve haver pelo menos cem casos de mulheres normais e companheiros incompetentes.
Como fazer para resolver t√£o importante desarranjo sexual, causa de tanta infelicidade e desentendimento conjugal?
O primeiro e mais importante passo é a mulher conversar com o companheiro com toda a franqueza, por mais resistente que ele seja para abordar este assunto.
O segundo passo √© procurar ajuda m√©dica e psicol√≥gica para o casal. Os dois devem ir juntos ao ginecologista, ao psic√≥logo, ao sex√≥logo, ou seja l√° quem for, capacitado tecnicamente para tratar de disfun√ß√Ķes sexuais. Conselhos de curiosos, religiosos e comadres n√£o funcionam. Jamais a mulher deve ir sozinha ao especialista porque o problema √© dos dois, mas principalmente dele.
Superadas as resistências iniciais, geralmente o homem passa a colaborar e as coisas se ajeitam bem. A mulher também muda sua maneira de compreender o problema, passa a se empenhar em resolvê-lo e não mais a fugir dele.

A sa√ļde sexual √© t√£o importante quanto a sa√ļde mental ou f√≠sica em quaisquer de seus aspectos. Cuide bem dela.

Visite meu site www.momentosaude.com.br