Arquivo da categoria ‘Doença renal’

Cólica renal – dor insuportável

15/07/13

Se você pudesse passar um dia inteiro dentro de um grande Pronto Socorro, aprenderia muitas coisas. A principal delas seria valorizar a vida humana. A outra seria dar grande valor à saúde que você tem, mesmo que não seja a melhor do mundo. No Pronto Socorro existem muitas tragédias, muito sofrimento, muita degradação. Lá se vê o ser humano como ele é de verdade: frágil, vulnerável, delicado, dependente e…mortal. É lá no Pronto Socorro que se pode avaliar a dimensão da maldição do Paraíso: “Tu és pó e ao pó tornarás.”
Uma das coisas mais corriqueiras em Pronto Socorro, em qualquer lugar do mundo, é a cólica de rim. Trata-se de um quadro dramático, em que o doente tem dor muito intensa, vômitos, mal-estar e, às vezes, urina escura. Todos os dias se atendem casos assim num Pronto Socorro geral. A maioria dos doentes é composta de adultos jovens, entre vinte e quarenta anos, mas podem aparecer crianças e velhos.
A cólica de rim aparece sem dar qualquer aviso prévio. Ela pega a pessoa em qualquer situação: dirigindo, dormindo, pilotando um avião ou passeando. A dor é em geral assustadoramente intensa e leva a pessoa imediatamente ao primeiro serviço médico que encontrar.
Embora apavorante, o quadro de cólica renal não é grave e não coloca o doente sob risco de vida. Basta dar alguns remédios para a dor e…pronto! Pode voltar para casa.
Depois de passado o susto, é necessário procurar um urologista para investigar a causa da dor. Pode ser uma pedrinha, mas pode ser uma doença mais séria, como o câncer de rim ou um grande cálculo.
Se você puder um dia visitar um Pronto Socorro, não deixe de observar como chegam e como saem os que têm cólica de rim. Alguns chegam gritando e chorando, mal podendo falar ou andar. Apresentam algumas vezes um quadro de pânico e sensação de morte iminente. E saem, em sua maioria, sem dor, caminhando pelas próprias pernas, às vezes um pouco envergonhados do escândalo que fizeram na entrada, o que não tem a menor importância. Afinal, sofrer é perfeitamente humano.

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Cólica renal – nem macho aguenta

08/07/13

Uma das maiores dores físicas que uma pessoa pode experimentar é a cólica de rim. Pode perguntar a quem já a teve. Pergunte, por exemplo, a uma mulher que já sofreu as dores de parto e também cólica renal, o que foi pior. Ou ela dirá que foram parecidas ou que as dores de parto foram menores.
A grande maioria das cólicas de rim vem sem qualquer aviso prévio. A pessoa está dormindo, trabalhando, descansando, tomando banho, almoçando e…de repente… surge uma dor muito intensa na região lombar (aquela parte das costas onde estão as últimas costelas, logo acima da cintura) acompanhada de mal-estar, vômitos e até mesmo uma estranha sensação de morte iminente. Com facilidade a pessoa entra em pânico porque não só está sofrendo muito, mas também por ficar com medo de morrer. As pessoas que presenciam a cena costumam ficar também apavoradas e levam depressa o doente para o Pronto Socorro mais próximo.
Quase todas as cólicas de rim são provocadas por pequenas pedras que se formam meses ou anos antes nos rins e lá ficam silenciosas até o dia em que resolvem sair. Aí surgem as dores. Em casos menos frequentes, as cólicas podem advir de infecções de urina, sangramento urinário ou de tumores renais.
Todo caso de cólica renal precisa primeiro de tratamento para o alívio da dor, que é insuportável para a maioria das pessoas. Resolvida a dor, o paciente precisa ser encaminhado para um especialista – o urologista, para que seja identificada a causa da cólica. Pode ser um cálculo pequeno que sai sozinho. Pode ser um cálculo grande que deverá ser quebrado ou operado. Poderá ainda ser uma coisa mais grave.
Para todos os casos de cólica de rim existe tratamento. Primeiro o tratamento da dor e depois o tratamento da causa da dor. A maioria dos que sofrem de cólica renal pode ficar curada com o tratamento certo.

Visite meu site www.momentosaude.com.br