Arquivo da categoria ‘Dificuldade respiratória’

A asma e seus sintomas

25/02/13

Quase todas as doenças têm nomes científicos, geralmente mais de um, e também nomes populares, geralmente vários. A asma é um nome científico para uma doença pulmonar. Mais corretamente, asma brônquica. Seus outros nomes médicos são bronquite asmática, bronquite alérgica, espasmo brônquico e outros. O povo geralmente se refere a ela como bronquite, carregação no peito e chiadeira.
A asma é um problema pulmonar crônico. O pulmão do asmático é mais sensível que o de outras pessoas. Esta sensibilidade maior do pulmão a determinados fatores está presente no indivíduo que sofre de asma, mesmo nos dias em que os sintomas não são evidentes.
As vias respiratórias sensíveis reagem a elementos irritantes contidos no ar que provocam uma reação inflamatória.
Os músculos das paredes dos brônquios se contraem e a secreção produzida normalmente se torna mais espessa e abundante.
Juntos, esses fenômenos reduzem o espaço dos canais respiratórios por onde passa o ar, provocando sintomas como: tosse, falta de ar, chiado, aperto, dor ou peso no peito e dificuldade para respirar.
Os sintomas da asma aparecem quando certos fatores desencadeantes atuam. Esses fatores variam de pessoa para pessoa.
Um indivíduo pode ser sensível a apenas um fator ou a vários; entre eles podem ser citados: pelos de animais, poeira doméstica, mofo ou ácaros, infecções, gripes ou resfriados, odores de sprays, perfumes ou tintas, pólen de plantas, situações de estresse, fumaça de cigarro, ar frio, poluição, choro, grito ou risada, aspirina e outros medicamentos, certas comidas ou condimentos.
Por último valeria a pena citar os exercícios físicos, embora estes, quando bem conduzidos, façam parte do tratamento e controle da asma. Muitas pessoas só têm crises quando começam a se exercitar.
Cada pessoa com asma deve tentar identificar os fatores que desencadeiam seus sintomas.
Conhecendo o que costuma trazer o desconforto, o doente deve procurar evitar expor-se a eles; desta forma manterá a doença sob controle. Fica claro que, vez por outra, mesmo este cuidado não será suficiente e haverá necessidade do uso de medicamentos; neste caso procure um médico, pois de acordo com a intensidade dos sintomas será escolhida a medicação mais apropriada.

Visite meu site www.momentosaude.com.br