dezembro, 2012

Hemorroidas

28/12/12

Certas palavras provocam algum constrangimento ou inibição em quase todas as pessoas. A palavra câncer é uma delas. Certos indivíduos nem mesmo a pronunciam de medo que ao proferi-la ocorra, por um mecanismo mágico, o contágio.
Outra destas palavras que causam constrangimento e até ruborizam certas personalidades mais delicadas: HEMORROIDAS.
Tenho certeza que você já ouviu ou leu esta palavra muitas e muitas vezes. Até ministros, presidentes, reis e rainhas podem sofrer de hemorroidas.
Hemorroidas são varizes no ânus. Estas varizes, como as varizes das pernas, se desenvolvem geralmente aos poucos nos adultos, embora possam também aparecer em crianças, e provocam sangramento na evacuação. Dito de outra forma, hemorroidas são varizes do ânus que sangram quando alguém usa o banheiro. Aparece sangue no papel higiênico.
As hemorroidas não complicadas somente sangram. E pouco. Mas as hemorroidas antigas, grandes, que saem para fora do ânus, podem provocar um sangramento maior e também dor.
Todo mundo pode ter hemorroidas. Depende da tendência de família (em certas famílias as hemorroidas são muito comuns) e depende dos hábitos das pessoas. As pessoas que se alimentam mal têm mais hemorroidas, comendo poucas frutas, verduras e legumes, isto é, poucos vegetais. Comem muita carne, pão, macarrão, doces e refrigerantes, mas poucos vegetais. Também têm mais hemorroidas as pessoas que ficam muito tempo sentadas, os gordos, os que têm intestino preso e as mulheres que têm muitos filhos.
As hemorroidas podem ser tratadas sem cirurgia quando estão no início. O tratamento consiste essencialmente em corrigir a dieta, emagrecer, andar mais e deixar de usar papel higiênico, substituindo-o por lavagem com água e sabonete.
As hemorroidas maiores, ditas de segundo e terceiro graus, precisam ser tratadas cirurgicamente, ou por meio de métodos modernos como a ligadura com elástico e a aplicação de frio, a chamada criocirurgia, ou por meio da cirurgia clássica, que é a hemorroidectomia, isto é, a remoção completa das varizes com bisturi e tesoura.
Seja como for, existe tratamento e a cura está ao alcance de todos os que procuram o médico. Por falar nisto, o médico que mais entende do assunto é o proctologista.
Visite meu site www.momentosaude.com.br

A independência tem seu preço

27/12/12

A mulher, em todos os tempos, sempre trabalhou muito. A mulher do passado, até muito recentemente, trabalhava só dentro de casa.
A mulher moderna também trabalha muito. Quando casada, ajuda o marido a sustentar a casa nestes tempos difíceis de aperto e de desemprego. Quando solteira, viúva ou descasada, trabalha mais ainda porque tem que se virar sozinha e ainda sustentar os filhos ou os pais.
A mulher moderna também fuma, bebe, toma pílula anticoncepcional, usa drogas e tem doenças sexualmente transmissíveis muito mais do que a mulher antiga, que se casava e passava a vida cuidando do marido e dos filhos.
Na verdade, o estilo de vida da mulher moderna mudou muito. Para melhor em muitos aspectos e para pior em outros. Mudou para melhor quanto aos seus direitos de cidadania, o reconhecimento social de seu valor e sua participação em todas as áreas do conhecimento humano. Mas mudou para pior quanto à sua saúde. Cerca de vinte anos atrás as internações de mulheres em hospitais especializados em doenças do coração respondiam por menos de 5% de todos os casos. Atualmente este número subiu para 30%. A explicação se encontra no cigarro e no estresse da vida moderna. Também bronquite, enfisema pulmonar, AIDS e doenças psiquiátricas vêm aumentando muito nos últimos anos de forma preocupante. Se você é mulher e tem um estilo de vida maluco, agitado, sem tempo para você mesma, preste atenção: Seu bem mais precioso é sua saúde. Reconsidere todo o seu estilo de vida e mude aquilo que for possível mudar. Fume pouco ou, ainda melhor, pare de fumar. Faça caminhadas periódicas e, se possível, algum esporte que lhe agrade, não só para manter a boa forma física, mas também para aliviar as tensões do dia-a-dia. Não viva a comer sanduíches e a beber refrigerantes. Alimente-se melhor. E tome o mínimo de remédios: nada de calmantes, fórmulas para emagrecer e pílulas anticoncepcionais sem prescrição médica.
Ser uma mulher moderna, em sintonia com as mudanças de nossos tempos, é inevitável e representa um avanço. Mas não perca a cabeça nem a saúde por causa disto.
Visite meu site www.momentosaude.com.br

Igualdade entre os sexos

17/12/12

No passado o valor das mulheres não era reconhecido. A sociedade era dirigida predominantemente por homens de espírito machista e retrógrado. Às mulheres eram vedados até os direitos de aprender a ler e a escrever, de votar e de ser independente. As mulheres eram úteis apenas no sentido sexual da palavra “útil”: serviam para dar prazer aos homens e gerar filhos.
Atualmente a mulher ainda tem esta posição desconfortável em diversas regiões do mundo, principalmente no Oriente. Já no Ocidente, onde estamos, o papel da mulher na sociedade mudou muito. Hoje a mulher tem quase todos os direitos e privilégios dos homens nos países mais desenvolvidos. Essa grande e justa conquista da mulher, no entanto, custou e está custando um preço muito alto. Em primeiro lugar, porque os movimentos feministas mais radicais pretendem fazer a sociedade enxergar uma igualdade que simplesmente não existe entre homens e mulheres. Há enormes diferenças que devem ser respeitadas. Certamente não há superioridade de homens sobre mulheres e vice-versa, mas diferenças físicas e psíquicas que precisam ser consideradas e respeitadas.
Outro preço que o movimento de libertação da mulher tem pago é o da perda da saúde da mulher. Nos últimos anos, doenças como o câncer de pulmão, doença das coronárias, derrame cerebral, doenças mentais e estresse, com suas inúmeras consequências, têm atingido como nunca as mulheres. As causas disso são o hábito de fumar disseminado entre as mulheres, as preocupações do trabalho, a piora da qualidade da alimentação e do estilo de vida, e outras.
Felizmente as coisas não precisam ser oito ou oitenta. É possível alcançar a justa posição de igualdade social, preservando a saúde. Isso pode começar pelo cigarro. O cigarro faz muito mal à saúde da mulher. Do mesmo modo, o álcool em excesso, a vida sedentária, o corre-corre do mundo dos negócios e o abuso de remédios para emagrecer e para dormir.
Aconselho a você, mulher do século XXI: busque oportunidades e direitos iguais aos dos homens na sociedade porque isso é bom e justo. Mas não tente virar um homem porque isto pode fazer muito mal à saúde.
Visite meu site www.momentosaude.com.br

Saber beber

10/12/12

Um dos maiores prazeres da vida é mastigar e engolir coisas que agradam aos olhos, ao olfato e ao paladar.
Feche seus olhos por um instante e pense no prato mais saboroso que você já experimentou. Hummm, que delícia!
Pense agora na bebida mais gostosa que já lhe desceu pela garganta. Que maravilha!
Como somos diferentes uns dos outros, temos também gostos diferentes. Muito diferentes.
Alguém talvez tenha se lembrado da sopa de feijão de sua santa mãezinha e de um copo de limonada bem gelada. Outro, que tenha um gosto mais sofisticado, pode ter imaginado uma saborosa lagosta acompanhada de um vinho branco francês. Seja como for, todos temos nossas preferências, quer porque aprendemos a gostar deste jeito ou nascemos assim. Gostamos porque gostamos. E pronto! Não é necessário buscar explicações mirabolantes. Como se diz: “Gosto não se discute.”
Para os que gostam muito de bebidas alcoólicas pode haver um probleminha: a ressaca do dia seguinte!
Bebendo muito hoje, mesmo sendo prazeroso, pode resultar uma ressaca amanhã.
E ressaca é dor de cabeça, dor de estômago, ânsia de vômito, tontura e mal-estar. Tudo isto e até mais: os reflexos ficam diminuídos, pode haver depressão e sonolência.
O melhor jeito de beber, para quem gosta, é beber pouco, de vez em quando e bebidas de boa qualidade. E jamais de estômago vazio!
Muitas pessoas inexperientes vão a festas ou a outras reuniões sociais e acabam aceitando uma bebidinha para não fazer feio ou para não ser diferente dos outros. E logo no início da festa, quando estão de estômago vazio. O que acontece? O estômago empurra rapidamente o álcool para os intestinos, que o absorvem para o sangue. Aí o álcool vai para o cérebro e dá os sintomas de embriaguez característicos. Mesmo que a quantidade de álcool ingerida não seja grande.
Se você tem um genuíno prazer em tomar uma bebida alcoólica, como eu e tantas outras pessoas, siga estas dicas: beba pouco, nunca beba de estômago vazio, não beba todos os dias e só ponha na boca coisas de boa qualidade. E jamais dirija depois de beber.

Visite meu site www.momentosaude.com.br

Ressaca

03/12/12

Você provavelmente já ouviu falar de ressaca. Ou talvez até já tenha experimentado uma. Ressaca é uma combinação desagradável de dor de cabeça, tontura, ânsia de vômito, “embrulho” no estômago, cansaço e, às vezes, depressão, sintomas que ocorrem geralmente depois de uma bebedeira. Ou depois de abuso de outras drogas, que não o álcool.
A ressaca não depende do tipo de bebida, se cerveja, vinho, uísque ou aperitivo; a ressaca depende da quantidade de álcool ingerido e também da qualidade da bebida. As bebidas baratas são em geral uma mistura muito heterogênea de elementos químicos, cheias de impurezas e de toxinas. As bebidas mais finas, e também mais caras, são melhores para a saúde.
Uma vez instalada a ressaca, não há muito o que fazer para curá-la depressa. Tomar café, água ou mais álcool, como alguns recomendam, não ajuda.
Tomar aspirina ou algum outro analgésico pode aliviar a dor de cabeça, mas ao mesmo tempo piorar a situação do estômago.
Na verdade, uma vez com ressaca, é necessário ter paciência e esperar um ou dois dias para voltar ao normal, comendo pouco, descansando um pouco e não bebendo nada.
O melhor tratamento contra a ressaca também não é o “Engov” tomado antes e depois da bebedeira, conforme diz a propaganda. Não funciona! A propaganda é mentirosa.
O que realmente funciona para a ressaca é a prevenção. Sim, porque prevenir ainda é o melhor remédio, já diziam nossos bisavós, no que estavam absolutamente certos.
Como prevenir a ressaca? Eu darei duas dicas que podem ajudar:
A primeira: Não beber muito. Tome um cálice, um copo ou uma caneca, mas nunca uma garrafa, uma caixa ou um barril. Alguns goles apenas e…chega!
A segunda dica: Nunca tome uma bebida alcoólica de estômago vazio. Coma algo antes, mesmo que seja pouco porque, fazendo isto, a absorção do álcool se processará mais devagar e ele não irá direto para o sangue.
Aqui vai uma grande e definitiva dica sobre a ressaca: se você está procurando um remédio contra a ressaca, ou então um jeito de evitá-la, você está bebendo bem mais do que deveria.
Visite meu site www.momentosaude.com.br