fevereiro, 2012

O coração e a garrafa

01/02/12

Se você quiser ter uma idéia bastante aproximada de como o seu coração funciona, faça o seguinte: Pegue uma bisnaga de plástico vazia, de detergente ou de mostarda. Encha-a de água e vá para um lugar aberto. Segure com a sua mão mais forte a garrafinha com o bico para cima. Então aperte a garrafa e solte depressa. Aperte de novo e solte. A cada segundo aperte e solte. O que acontece? Faça a experiência e veja que sai um jato a cada segundo do bico da garrafa. Apertando com mais força o jato sai mais forte e vai mais longe. Apertando fraco o jato sai fraco.

Seu coração funciona assim. Ele é mais ou menos do tamanho de sua mão fechada e faz força muscular do mesmo jeito, bombeando o sangue com maior ou menor força para todo o organismo. Até para o dedão do pé.

O coração sadio do jovem bombeia com força, mas o coração doente do velho bombeia com pouca força.

Depois dessa experiência faça outra. Feche o bico da garrafa e deixe-o bem fininho. Ou então tampe o bico com o dedo de modo a deixar passar pouco líquido. Veja o que acontece. É preciso fazer mais força para eliminar a mesma quantidade de líquido. Isto acontece em certos defeitos do coração em que a abertura de saída é estreita e também quando a pressão arterial é alta. As pessoas que sofrem de pressão alta têm uma condição parecida.

A pressão alta faz o coração trabalhar mais. Por isso ele se dilata e acaba ficando doente. De forma semelhante é a situação da pessoa muito gorda. O coração precisa trabalhar mais para conseguir bombear o sangue para todo o corpo com toda aquela gordura. Se o coração trabalha muito ele se gasta mais depressa. Ele pode se cansar e perder a força, do mesmo modo que sua mão não agüenta apertar a garrafa muito tempo seguido.

Vá agora mesmo atrás de uma garrafa plástica e faça a sua experiência, porque um exemplo vale mais do que mil palavras, como diziam os antigos chineses.